Alois Alzheimer

A Mais Completa Biografia Ilustrada de Alois Alzheimer

O Portal de Conteúdo Sobre Alzheimer na Web Mundial

Sua Vocação - História Mitológica de Medicina


ALOIS ALZHEIMER 1864-1915

A obra de Alois Alzheimer deve ser entendida dentro de um contexto histórico. Se não conhecemos a evolução da medicina e da mitologia até sua época corremos o risco de perder de vista essa perspectiva, a sua vocação.

A época que Alzheimer produziu e publicou seus trabalhos foi marcada por notáveis avanços. Muitas das descobertas dessa época ainda são as referências básicas e clássicas da medicina exercida atualmente. Alguns fatos determinaram essa evolução e as conquistas atingidas iriam influenciar de maneira decisiva o avanço da ciência como um todo.

Convidamos você, visitante do alzheimermed, a nos acompanhar e fazer conosco um mergulho breve porém profundo na história da medicina e da mitologia grega ricamente ilustrada como um sinal de respeito do alzheimermed que sempre visa oferecer o que melhor existe em termos de informação correta e interessante.


O conhecimento dessa cultura nos situa na filosofia que desenhou muitos princípios básicos de conduta e ética que permanecem até os nossos dias.

Divirta-se!


Hipócrates 460 AC – 377 AC - O Pai da Medicina, viveu no século 4 AC, nasceu na ilha de Kós – Grécia.


Definiu em seus “Aforismos” - DOENÇA - como sendo o resultado do desequilíbrio entre os “humores orgânicos” (trisosha); sangue, bile negra e amarela e água (fleuma), associando esses elementos com o temperamento dos indivíduos.

O mais famoso médico grego foi o primeiro a rejeitar o conceito de que as doenças eram causadas por superstições, possessão por espíritos malignos ou pela ira dos deuses passando pela primeira vez na história uma imagem mais científica da medicina.


Entendia que o corpo humano era um todo e não um conjunto de partes independentes. Descreveu pela primeira vez e com detalhes a pneumonia e a epilepsia em crianças. Acreditava que a cura natural ocorria com o repouso, alimentação saudável, ar puro e hábitos de higiene.

Observou que a severidade de uma determinada doença comportava-se de forma variável de pessoa para pessoa. Foi o primeiro a defender que as emoções, os sentimentos, o pensamento e as idéias tinham origem no cérebro e não no coração como acreditavam na época.


Pregou seus ensinamentos por toda a Grécia, porém na maioria de seu tempo reunia seus discípulos em Kós-Dodekánisos, sob a copa de uma árvore, supostamente plantada por ele mesmo e preservada até hoje onde fundou sua Escola de Medicina.

“Sala de Aula” de Hipócrates na ilha grega de Kós

Escreveu o célebre “Juramento de Hipócrates” adotado e respeitado por todos os médicos do mundo até os dias de hoje.

Pintura Antiga Ilustra Hipócrates rejeitando um presente oferecido por

'Alexandre –O Grande'.

Platão - 427 AC – 347 AC - O filósofo grego nascido em Atenas defende que a mente teria 3 partes: apetite, razão e caráter.


Platão


Academia de Platão


Aristóteles 384 AC - 322 AC o pupilo mais famoso de Platão - nascido em Stagira ao norte da Grécia defende as teorias de Hipócrates.


Galeno (Claudius Galenus) 129 (31) – 200 DC - famoso médico romano nascido na Ásia Menor – Pergamum - foi médico de Marco Aurélio, autor de mais de 800 livros médicos (83 ainda existentes) descrevendo vários sintomas psiquiátricos.

Galeno é considerado o 'Pai da Farmácia' - respeitado pelos farmacêuticos como Hipócrates é respeitado pelos médicos.

Galeno era conhecido como o “Terapeuta Assistente” do Deus Esculápio (Asklepius) o Deus da Medicina, filho do Deus Apolo com a simples mortal Coronis.


Esculápio - Deus da Medicina

Na mitologia grega, Phlegyas, Rei da Alcéria, tinha uma linda filha, Coronis, que estava prometida a casar-se com Ischys, filho do Rei de Arcádia e por quem o Deus Apolo se apaixona.


Deus Apolo

Cronus e Rhea

Zeus era filho de Cronus, o mais poderoso dos titãs, gigantes que quiseram escalar o céu para destronar Júpiter, com Rhea.

Cronus costumava engolir seus filhos e Rhea , grávida de Zeus , conseguiu enganar o titã e salva Zeus, engolindo uma pedra que Cronus pensava ser o seu filho.

Cronus 'pensando' em engolir um de seus filhos

Cronus engole um de seus filhos

Zeus era o senhor absoluto do Olimpo.

Imperador e Deus todo-poderoso torna-se o Rei do Céu e da Chuva, conhecido por ter muitas amantes e por matar impiedosamente os seus inimigos com o poderoso raio/trovão que havia sido presenteado a ele por Cyclope.

Zeus


Zeus com seu 'Raio-Trovão'

Zeus


O Templo de Zeus

Zeus une-se maritalmente à sua irmã Hera e, apaixonado, descuida-se de suas responsabilidades na batalha de Tróia.

Hera

Zeus, conhecido por sua infidelidade, tanto com deusas como com simples mortais, engravida Leto, uma de suas amantes, o que provoca a ira de Hera.

Hera ameaça e proíbe todos de ajudar Leto no parto. Convence Eileithyia, a Deusa do Parto, a não colaborar no nascimento dos gêmeos Apolo e Arthemis / Diana, filhos divinos de seu marido Zeus.

script type="text/javascript">

Um dos Primeiros Registros Artísticos de um Parto Assistido

Eileithya - A Deusa do Parto

Leto agoniza 9 dias e outras deusas subornam Eileithya a fazer o parto dos deuses gêmeos, Apolo e Arthemis /Diana.

Dizem que Arthemis- casta por toda sua vida -também conhecida como Diana - a Deusa da Caça e das Florestas- nasceu nove dias antes de Apolo e ajudou no conturbado parto de seu irmão Apolo.

Leta, rejeitada por seus concidadãos vai procurar ajuda na ilha de Ortygia que a acolhe.


Habitantes negam água a Leto e seus gêmeos Apolo e Arthemis / Diana

Dellos

Em reconhecimento por sua hospitalidade a Leto, a ilha recebe como presente duas colunas eternas que são batizadas de “Dellos” (brilhante), imortalizando o fato.


Apolo, Deus da Música e da Cura

Apolo ensinou a medicina aos homens. Foi criado por Themis, a Deusa da Justiça, que o alimentou com o alimento dos deuses: ambrósia e néctar.


Themis

Adulto, Apolo percorre a terra e ascende ao Olimpo onde encanta os outros deuses com sua lira, com sua música.


Deuses Reunidos nos Olimpo Ouvem a Música de Apolo

Apolo decide morar em Delphy. Encontra e mata a terrível e temida serpente Python, filha de Gaea, Deusa da Terra e filha de Urano (Deus do Universo) e instala seu oráculo divino na casa onde o monstro habitava.


O Monstro Python


O Templo de Delphy


Gaea

Urano - O Deus do Universo

Apolo, que além de guerreiro e fisicamente belo , era um amante incorrigível e eclético, mas com pouca sorte em suas empreitadas amorosas.

Apolo teve vários amores:

Cassandra, a quem ele presenteia com o dom da profecia mas, quando ela rejeita seus carinhos, ele transforma seu dom em maldição.

Cassandra

Hyacinthus, o jovem rapaz por quem Apolo se apaixona e que morre em seus braços vítima de um estranho acidente após ter rejeitado seu amor. Mesmo apaixonado pela beleza de seu amigo, discutem em um jogo de disco e Apolo acerta o instrumento na cabeça e o mata. Arrependido e triste transfere o sangue de seu amado para uma flor.

Hyacinthus

Apolo socorre seu amado após tê-lo ferido de morte

Calíope, filha de Zeus com Mnemosyne -Deusa de Memória-, dá a Apolo seu legendário, músico, poeta e cantor, filho Orpheu.

Mnemosyne - Deusa da Memória


Calíope – A Musa da Eloqüência


Orfeu


Orfeu e Eurídice

Daphne, uma ninfa por quem Apolo se apaixona.

As ninfas eram espíritos dos campos, florestas e da natureza em geral. Graciosas, belas e alegres, personificavam a fertilidade.


Conta a lenda que Cupido (Deus do Amor), furioso com Apolo, o flecha com a seta do amor, para ele se apaixonar pela primeira mulher que viesse a encontrar.

Apolo vê Daphne e não resiste aos seus encantos apaixonando-se perdidamente pela bela ninfa.

Cupido, flecha Daphne com a seta da repulsa por Apolo e a ninfa foge voando.

Apolo a persegue desesperado. Daphne não resiste por muito tempo se cansa, começa a cair e implora a seu pai Peneu (Deus dos Rios) que abra a terra para abrigá-la em sua queda ou que a transforme em alguma outa coisa.

Peneu a transforma em uma árvore de louros que Apolo passaria a venerar e desse dia em diante passa a usar sempre uma coroa de louros em memória de sua amada Daphne.


Apolo persegue Daphne


Vênus e Cupido


Cupido e Ninfa Brincando na Floresta


Apolo e as Musas que eram filhas de Zeus com Mnemosyne

Coronis, mãe de Asklepius (grego), Esculápio (romano).

Phlegyas, Rei da Alcéria, tinha uma linda filha, Coronis, que estava prometida a casar-se com Ischys, filho do Rei de Arcádia e por quem o Deus Apolo se apaixona.


Arcádia

No dia do casamento um corvo assiste os preparativos para a boda e voa até Delphy para informar a Apolo que sua amada ia desposar um mortal. Apolo irado amaldiçoa a ave e transforma todos os corvos que eram brancos em negros.

Apolo mata Ischys com suas flechas e envia sua irmã Arthemis/Diana para matar Coronis.


Arthemis/Diana- Deusa da Caça e das Florestas -

Protetora das Crianças e dos Animais

Coronis estava grávida de Apolo e é morta pelas flechadas desferidas por Arthemis / Diana.

Apolo se compadece e retira seu filho Esculápio do ventre de Coronis antes dela ser queimada na pira fúnebre como era o costume da época.


Apolo retira seu filho Esculápio do ventre de Coronis

Inconformado, o pai de Coronis manda incendiar o oráculo de Apolo que o mata.

Apolo envia o filho Esculápio ao Peloponeso para ser educado pelo imortal centauro Chiron, conhecido por sua bondade e sabedoria, tendo sido tutor de Hércules, onde ele aprende a curar todas as doenças. Entretanto, seus conhecimentos médicos eram de tal magnitude que Esculápio conseguia até trazer de volta os que já tinham morrido.

Diziam que Atenas havia dado a ele os poderes advindos do sangue das Górgonas, monstros femininos terrivelmente cruéis que transformavam em pedra aqueles que ousassem olhar para suas faces,para que ele ressuscitasse a Hipólito (alguns dizem ter sido um pedido de Arthemis / Diana).


Atenas – Deusa dos Guerreiros e da Prudência


Górgona Decapitada por Perseu


Górgona/Medusa - Templo de Apolo

Esses poderes de Esculápio provocam a ira de Zeus que o mata com um raio.

Apolo, não podendo descarregar sua ira em Zeus, mata Cíclopes, que havia presenteado a Zeus com o raio-trovão.


A pedido de Apolo, Zeus faz de Esculápio um Semi-Deus,pois sua mãe Coronis era uma simples mortal, e o envia para viver entre as estrelas, em especial na Constelação de Ophiuchus - Berço das Serpentes.


A Constelação de Ophiuchus onde vive Esculápio

Esculápio


Esculápio casa-se com Epione (Salus) - Deusa do Alívio – e com ela tem 5 filhas:


Esculápio com suas Filhas Deusas:
Iaso, Hygea e Panacéia - (Deusa de Todas as Curas)


Iaso – A Deusa da Recuperação


Hygeia (Higiene)– A Deusa da Boa Saúde


Aglaea (Primeira Esq) Deusa dos Bons Fluídos com sua Irmãs


Esculápio e sua filha Hygeia (Higiene)

E Akeso e seus filhos, Machaon, Polidarius e Telesforos (Deus da Convalescência).

Esculápio estabele-se em Epidauro no nordeste do Peloponeso onde funda seu famoso Santuário.


Epidauro


Ex – Votos -Epidauro


Esculápio chega de bote a Kós e se encontra com Hipócrates sentado à esquerda


Caduceu – O Anjo da Cura


A Serpente do Caduceu encontrada em (Isola-Tiberina)


O Santuário de Esculápio nos dias de hoje em uma pequena gruta na Acrópole – Atenas- Grécia


A Acrópole Antiga

A ligação do caduceu como símbolo da medicina inicia-se no Século XVII com o Deus grego Hermes (grego) ou Mercúrio (romano) – O Mensageiro dos Deuses e da Morte pela sua relação com a alquimia.


Hermes

No caduceu com o bastão, duas serpentes copulando e um par de asas, há um conflito na simbologia não só porque Hermes estaria mais ligado ao comércio, como também porque o termo caduceu estaria relacionado com caduco, caduquice, ao contrário do que a medicina propõe, renovação, vitalidade e saúde.

A mitologia diz que Tiresias encontrou as duas serpentes copulando e para separá-las colocou um bastão entre elas sendo imediatamente punido,transformado em mulher,e assim permanecendo por 7 anos até que repetisse o fato e foi só assim que teria voltado a ser homem novamente.

Tiresias teria dado esse bastão com as duas serpentes para Hermes.

As serpentes representariam para alguns o positivo e o negativo, movem-se ao longo da coluna vertebral permeando os “chacras” e suas cabeças ficam na altura do ouvido de Esculápio para que elas o aconselhassem em como curar,e assim poderiam se comunicar mais facilmente com a mente do Deus.

O caduceu com duas serpentes

O caduceu com uma única serpente, como o utilizado pela Organização Mundial de Saúde é o mais correto como símbolo médico.

Caduceu – OMS

A serpente simboliza renovação, juventude, vitalidade e renascimento uma vez que na antiguidade acreditavam que a cada mudança de pele o réptil renascia.

A lenda diz que essa serpente única teria aconselhado Esculápio a como tratar um paciente grave e que graças a ela ele teria se recuperado.


Outra explicação para a representação da serpente seria os vermes que eram retirados da pele dos pacientes com um pedaço de madeira (procedimento muito comum na época).


Esculápio com o caduceu assiste médico retirando vermes da pele de um paciente

De acordo com a Ilíada de Homero, Esculápio teria realmente existido nos idos de 1.200 AC, tendo sido um excelente médico grego dando origem ao mito.

Homero 1.200 AC

 

Veja também:

O Estudante de Medicina

O Médico

O Psiquiatra do Microscópio

A Primeira Paciente August D.

O Segundo Paciente Johann F.

Sua Época - História Ilustrada da Neurociência

Grandes Vultos da Neurociência - Galeria

Famosos e Doença de Alzheimer

Suas Obras, Suas Conquistas, Seu Legado