Alois Alzheimer

A Mais Completa Biografia Ilustrada de Alois Alzheimer

O Portal de Conteúdo Sobre Alzheimer na Web Mundial

Grandes Vultos da Neurociência - Galeria

Alzheimer viveu em uma era de grandes descobertas, cientistas renomados e médicos notáveis, alguns contemporâneos e outros que foram importantes pelos resultados de seus estudos estão na galeria a seguir:

Na Alemanha


E.Friedrich Burdach 1776-1847
Publicou em 1837 o clássico ensaio “Anatomia Microscópica do Sistema Nervoso”.


Moritz Heinrich Romberg – 1795-1873
Descreveu o clássico sinal propedêutico que leva seu nome.


Emil du Bois-Reymond - 1818-1896
Eminente estudioso na área da eletroneurofisiologia


Nikolaus Friedreich –1825-1882
Publicou importantes trabalhos em neuropatologia e diagnóstico clínico em neurologia.


Wilhelm Griesenger – 1817-1868
Defendia o conceito que as patologias neurológicas teriam sintomas psiquiátricos.


Eduard Hitzig –1838-1907 (esq) e G.T.Fritsch (dir)

Eduard Hitzig


G.T Frisch
Estudiosos em resposta às estimulações do córtex cerebral.

Carl Weigert-1845-1904
Descobriu novos métodos de preparação histológica para visualização da mielina. Autor de trabalhos clássicos sobre o córtex cerebral normal e patológico. Foi um dos maiores neuropatologistas do passado.


Joham-Ludwig Thudichum –1829-1901
Considerado o Fundador da Neuroquímica.

Wilhelm Wundt –1832-1920
No século XVIII acreditava-se haver apenas 4 sabores: ácido, amargo, doce e salgado. Wundt descreve outros 2: o metálico e o alcalino. Considerado o Pai da Psicologia Moderna.


Theodor Meynert – 1833-1898
Notável estudioso na localização das funções cerebrais, descreveu o Núcleo Basal de Meynert.


William Konrad Roentgen –1845-1923
Descobre os Raios X em 1895. Agraciado com o Prêmio Nobel em 1901.


Heinrich Quincke – 1842-1922
Descreve o famoso edema (angioneurótico) de Quincke

Otfrid Foerster –1873-1941
Publicou seu clássico estudo sobre a citoarquitetura do córtex cerebral em 1936.


Korbinian Broadmann –1868-1918
Respeitado neuropatologista associa-se e trabalha com Alois Alzheimer em 1900. Publica o seu clássico trabalho sobre citoarquitetura neuronal.


Mapa “Citoarquitetônico” de Broadmann


Adolf Wallemberg 1862-1949
Wallemberg em 1895 descreve com elegância e detalhes a clássica figura da oclusão da artéria posteroinferior cerebelar resultando no infarto na região lateral da medula oblonga.


Cecile Mugnier Vogt –1875-1962 e Oskar Vogt –1870-1959 (Alemanha)
Ela francesa e ele alemão, criaram o “Kaiser Wilhelm für Hirnforschung”. Pioneiros na área da neurociência dedicaram seus estudos ao envelhecimento neuronal e às mutações genéticas.


Max Bielschowsky 1869-1940
Modernizou a técnica de preparação histológica por impregnação por prata descrita originalmente por Camillo Golgi e Santiago Cajal.

Otto Biswanger 1852-1929
Trabalhou em conjunto com Alois Alzheimer.Publicou notáveis trabalhos sobre demências de etiologia vascular.


Robert Koch 1843-1910
Prêmio Nobel de Medicina/Fisiologia em 1905 por sua descoberta do agente etiológico da tuberculose (Bacilo de Koch).


Hans Berger –1873-1941 –

O Pai da Eletrochoqueterapia
Trabalhou com Otto Biswangüer e introduziu a ECT na Psiquiatria.


Ludwig Edinger 1855-1918
Fundador da Neuropatologia Moderna.


Franz Nissl -1860-1919
Amigo e companheiro de pesquisa de Alzheimer. Descobriu a técnica de preparação histológica que leva seu nome. Famoso mundialmente, teve o reconhecimento da qualidade de seu método quando as lâminas dos dois primeiros pacientes de Alzheimer, August D. e Johann F., foram encontradas 90 anos depois ainda em excelente estado de conservação sem que nenhum cuidado aicional tivesse sido adotado com vistas à sua preservação.


Emil Kraepelin 1856-1926
Chefe de Alzheimer em Munique. Deu origem ao epônimo Doença de Alzheimer

Na Rússia


Ivan Pavlov – 1849-1936
Famoso fisiologista descreveu o Reflexo-Condicionado de Pavlov – Prêmio Nobel em 1904.


Vladimir Mikhailovich Beckhterev 1857-1927
Descreveu a correlação anatômica entre o cérebro e o comportamento.


Sergei Korsakov – 1853-1900
Autor do estudo que definiu a demência (psicose) de Korsakov.


G.T Rossolimo
Estudioso da semiologia do sistema piramidal, descreveu seu sinal propedêutico em 1902.


Constantin von Monokow – 1853-1930
Assistente de Eduard Hitzig publicou grande número de trabalhos sobre neuropatologia das encefalites, da afasia e da apraxia. Publicou também “A Moralidade as Emoções e o Cérebro”

Na França


François Bayle – 1622-1709
Descreve originalmente a arteriosclerose como principal causa dos acidentes vasculares cerebrais


Jean Étienne Dominique Esquirol 3/2/1772 – 13/12/1840
Aluno de Pinel, Esquirol o sucede em 1811 como chefe do Hospital de Salpêtriére em Paris. Entre vários outros notáveis trabalhos cunhou o termo ”alucinação”.


Felix Vicq d’Azyr –1748-1794
Um dos primeiros médicos a estudar neuroanatomia macroscópica. O seu “Atlas de Neuroanatomia” é uma das mais importantes preciosidades da literatura histórica em neurologia.


Alfred Vulpian 1826-1887
Vulpian foi junto com Charcot um dos diretores de Salpêtriére. Estudou com detalhes os pares cranianos do III ao X e a ação de drogas como a pilocarpina e a nicotina.


Claude Bernard 1813-1878
Descreve em conjunto com Johanon Frederick Horner 1831-1886, a síndrome que levaria o nome dos 2 cientistas – Síndrome de Claude Bernard Horner.

Apaixonado pela fisiologia desde estudante dedica-se também a pesquisas experimentais.

Claude Bernard em seu " Laboratório"


Descrição da secção do nervo ciático em sapo realizado por Bernard (original).


François Baillarger – 1809-1890
Conhecido por sua publicação em 1840 em parceria com Esquirol sobre as camadas do córtex cerebral.


Philippe Pinel 1745-1826


Pinel liberta das correntes pacientes em Bicêtre.


Paciente sendo libertada das correntes por ordem do Dr Pinel em Salpêtrière – Paris.

Phillipe Pinel inventor do “Tratamento Moral” torna-se conhecido por determinar a remoção de correntes no asilo de doentes mentais de Paris – Bicêtre.Salpêtrière é a ala feminina de Bicêtre.


Jean-Martin Charcot 1825-1893
Assume a diretoria do Hospital de Salpêtrière em Paris. Descreveu a histeria, as neuroses e estudou a hipnose.


Pierre Paul Broca (1824-1880)


Notável descoberta de Broca. Localizou a Área (motora da fala) de Broca.


O cérebro estudado por Broca (original) mostrando a Área de Broca

Charles Laségue – 1816-1833
Descreveu o sinal propedêutico que leva seu nome.


Ilustração (original) da apresentação do Sinal de Laségue.


Fulgence Raymond – 1844-1910
Sucedeu Charcot da cátedra de neurologia da Universidade de Paris


Charles Foix – 1882-1927
Conhecido por seus estudos sobre lesões neurológicas de origem vascular.


Clois Vincent – 1879-1947
Trabalhou com Babinski em Salpêtriére. Introduziu novas técnicas cirúrgicas como a simpatectomia periarterial e a cirurgia para a dor fantasma de amputados. Imprevisível e temperamental. Babinski em seu leito de morte o indica para com Martel iniciarem a neurocirurgia na França.


Joseph François Felix Babinski – 1857-1932


Foto da apresentação original de Babinski descrevendo seu célebre sinal.


Jean Athanse Sicard – 1872-1929
Conhecido por introduzir o contraste iodado Lipiodol na radiologia

Na Inglaterra

Joannes Wierus (1515-1588) (Grave)-Considerado o “Fundador da Psiquiatria”


Thomas Sydenhan 1624-1689
Em 1686 descreve a variante da Coréia que leva seu epônimo conhecido como “Dança de São Vito”.


William Battie 1704-1776
Fundou a primeira instituição para doentes mentais na Inglaterra.


Casa de James Parkinson (não há registro de sua imagem) 1755-1828
Mundialmente conhecido pela descoberta da doença que gerou o epônimo –Doença de Parkinson.

Publica seu célebre trabalho em 1817.


Edouard Brown-Sêquard – 1817-1894
Conhecido cientista por seus magníficos e originais trabalhos sobre o sistema simpático.


Charles Scott Sherrington 1852-1957
Notável fisiologista faz pesquisas em parceria com Cajal e Robert Koch estudando as funções neuronais.
Descreve o arco-reflexo simples em 1906.


Desenho (original) de Sherrington- “overlaping” dos neurônios


Grafton Elliot Smith – 1871-1937
Publicou estudos de anatomia comparada e sobre a evolução do sistema nervoso central.

Nos Estados Unidos da América


Benjamin Rush – 1746-1813

Conhecido entre os americanos como : o “Hipócrates Americano” –Pai da Psiquiatria Americana.


Julius Grinker –1867-1928 – Prússia
Introduziu o fenobarbital nos EUA em 1913.


Harvey Williams Cushing – 1869-1939
Com vários trabalhos em neurocirurgia notabilizou-se quando descreveu a síndrome que leva seu nome.


George Huntington – 1850-1916
Publica em 1872 o famoso trabalho sobre Coréia que levaria seu nome.


Samuel Alexander Kinnier Wilson – 1855-1941
Escreveu seu “Tratado de Neurologia” um dos clássicos mais relevantes da literatura médica.

Na Holanda


Cornelius Winkler – 1855-1941
Publicou vários estudos em neuropatologia. Ficou conhecido por seus trabalhos sobre atrofia olivopontecerebelar e afasia cerebelar.

Na Checoslováquia


Sigmund Freud 1886-1939- Checoslováquia

Arnold Pick

– 1854-1924


Corpos de Pick

Descreveu a demência que leva seu nome. Seu serviço em Praga mantinha grande rivalidade com o de Kraepelin de Munique.

Na Áustria


Gregor Johann Mendel –1822-1884
O Pai de Genética


Franz Gall – 1758- -1828
Estudou a localização das funções cerebrais (Frenologia)

Frenologia - Estudo da Localização das Funções Cerebrais


Julius Wagner-Jauregg – 1857-1940
Agraciado com o Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina em 1927 por seus trabalhos de inoculação de malária na terapêutica da “demência paralítica”. Um dos pioneiros da psiquiatria moderna.

Na Escócia


William Cullen1710- 1790–

Universidade de Edinburgo
Entre outras propostas de tratamento, introduz o ópio como terapêutica sedativa para conter pacientes agitados.


Charles Bell – 1774-1842
Famoso por seus estudos dos nervos cranianos. Descreveu a Paralisia Facial de Bell.

Desenho Original de Bell

Na Austrália


Walter Campbell 1868-1937
Estudioso da neuropatologia e na localização das funções cerebrais descreveu o “Mapa de Campbell”


Carl Wernicke 1848-1904
Wernicke nasce na Polônia mas faz sua carreira médica na Alemanha. Estudioso das áreas sensoriais do cérebro e motora da fala deu grande contribuição no entendimento das afasias sensoriais.Também, em conjunto com Korsakov, descreveu a demência de origem alcoólica que leva o epônimo dos dois cientistas.


Desenho (original) de Wernicke - áreas motoras e sensoriais da fala

Na Suíça


Auroleus Phillipus Theostratus Bombastus von Hohenheim, imortalizado como 'Paracelsus,' Einsiedeln, Suíça - 1493- 1541.


Rudolf Albert von Koelliker 1817-1905
Respeitado neuroanatomista e fisiologista, estudou com profundidade as estruturas mais delicadas do Sistema Nervoso Central.

Em Portugal


Egas Moniz – 1875-1955
Descreveu a técnica da angiografia cerebral

Na Espanha


Santiago Ramon y Cajal 1852-1934
No museu que leva seu nome existem preparações histológicas datadas de 1920-25 que são rotuladas por ele como: “Doença ou Demência de Alzheimer”.
Cajal demonstra a estrutura dos neurônios em 1890. – Nobel de Medicina em 1906.


Desenho Feito por Cajal (original)

Na Itália


Camillo Golgi 1843-1926
Agraciado com o Prêmio Nobel em 1906.

Sua técnica de preparação histológica para o estudo microscópico do tecido nervoso em parceria com Cajal, permitiu o estudo detalhado das lesões orgânicas descritas por Alzheimer. Publicou inúmeros trabalhos e a descrição da estrutura citoplasmática que leva seu nome foi, ao lado do seu método, uma das grandes conquistas científicas da época.


Aparelho de Golgi (desenho original)


Ugo Cerletti – 1877-1963
Na Itália um dos pioneiros na aplicação do ECT foi o italiano Ugo Cerletti, aluno de Alzheimer em Munique.


Gaetano Perusini 1879-1915
Discípulo de Alzheimer em Munique, Perusini estudou e publicou em 1909, por sugestão do próprio Alois Alzheimer, 4 casos de doença de Alzheimer. Seu trabalho teve reconhecimento internacional e na Itália a doença de Alzheimer também é conhecida como doença de Alzheimer-Perusini.

Alois Alzheimer

Nota do Editor

Muitas vezes os termos arteriosclerose e aterosclerose confundem-se pois são usados em diferentes épocas e por vezes com o mesmo sentido .
Na medida do possível tentamos manter o que foi dito independente da exatidão do conceito.

ARTERIOSCLEROSE: Conceito
Grupo de processos que têm em comum o espessamento e a diminuição da elasticidade vascular.

ATEROSCLEROSE : Conceito
Termo utilizado pela primeira vez por Lobstein em 1835 (1777 – 1835) .
Doença de progressão lenta, cuja característica principal é o “ateroma” – depósito circunscrito de lípides na íntima formando uma placa fibrogordurosa focal elevada, afetando artérias grandes e médias (coronárias, cerebrais, a aorta, tronco braquicefálico , ilíacas). É o tipo de arteriosclerose mais freqüente e importante.

 

Veja também:

O Estudante de Medicina

O Médico

O Psiquiatra do Microscópio

A Primeira Paciente August D.

O Segundo Paciente Johann F.

Sua Época - História Ilustrada da Neurociência

Sua Vocação - História Mitológica de Medicina

Famosos e Doença de Alzheimer

Suas Obras, Suas Conquistas, Seu Legado